Multimidia Luv Life

Meu diário Multimídia

Está online a 35.ª edição da Revista @espiritolivre!!

REL035_Capa

Demorou mais saiu! Aí estã a edição n. 35 da Revista Espírito Livre. Esta edição, excepcionalmente, trata de artigos relativos as palestras que ocorreram na prmeira edição do Fórum da Revista Espírito Livre, ocorrido em novembro de 2011. Vários de vocês estiveram presentes, o que muito me alegra, e agora, poder compartilhar com vocês um pouco do material que foi discutido no dia do evento, me alegra ainda mais.

Muito obrigado a todos que de alguma forma contribuiram para que mais uma edição da revista ganhasse vida. O meu obrigado a todos aqueles que acreditaram no evento: Prefeitura Municipal de Vila Velha, Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Vitória, ES Convention Bureau, SERPRO e FAESA.

Quanto ao trabalho de edição deste número um agradecimento especial a Vera Cavalcante e ao Hélrio S. Ferreira.

Abaixo deixo um trecho do editorial da edição.

Organizar um evento não é tarefa fácil. Quem já organizou eventos, mesmo pequenos e de expressão local, sabe que não é uma tarefa simples. Organizar o I Fórum da Revista Espírito Livre foi muito gratificante, entretanto extremamente trabalhoso. Ao final senti aquela sensação de dever cumprido, de missão cumprida. Realmente algo muito bom de sentir.

Mas para quem não acompanhou as notícias do final do ano de 2011, no final do mês de novembro, mais precisamente no dia 29/11, a capital capixaba, Vitória, recebeu a primeira edição do Fórum da Revista Espírito Livre. O evento foi um sucesso e contou com a participação de muitos colaboradores da publicação, além é claro, de vários leitores que estiveram presentes durante todo o dia, em busca de conhecimento, informação de qualidade, ou para conhecer aqueles que fazem a Revista Espírito Livre regularmente.

A principal motivação para a realização do fórum da Revista Espírito Livre surgiu da necessidade de encurtar as distâncias entre leitores e colaboradores, já que a publicação existe apenas como uma revista digital. Outra motivação era a de levantar recursos para ajudar a sustentar a produção da revista, algo extremamente importante. Além disso, a proposta era de, ao final do evento, serem reunidos os trabalhos apresentados durante todo o dia, e compilados em uma edição especial, com a contribuição de textos dos palestrantes e parceiros envolvidos. Esta, portanto, a primeira de muitas. Assim espero.

Já estamos planejando edições em outras cidades, na esperança de poder atingir um público ainda maior de pessoas. Nas páginas desta edição você irá conferir alguns dos principais temas abordados durante o evento ocorrido em Vitória/ES.

Um forte abraço a todos!

Nota de lançamento e download gratuito: http://va.mu/TmXZ

Se você curtiu a revista, que tal dar uma força na divulgação? Temos perfil em rede social @espiritolivre e nosso site htp://www.espiritolivre.orgEstamos abertos à colaboração, sugestões e críticas. Fiquei a vontade e participe.

 Fonte: Assessoria de Comunicação.

1 Comentário »

Escolhendo uma área dentro da sua profissão

Post originalmente publicado no Blog Pyrsona Brand House em parceria com @Calazans

 

Essas dicas são para quem já está cursando comunicação. Lá pelo 5º semestre você começa a se perguntar (ou já está se perguntando) em que área atuar dentro da sua profissão.

Costumo dizer que profissão é igual futebol. O jogador precisa escolher em qual posição vai jogar, mesmo aqueles que jogam bem em todas as posições escolhem uma ou umas para atuar. Na comunicação não é diferente, na minha área (publicidade), por exemplo, existem varias outras segmentações para atuar, como redação publicitária ou atendimento.

Não é uma tarefa fácil escolher uma segmentação, também não há formula pronta para isso, mas eu vou dar umas dicas que aprendi na marra depois de passar por vários estágios antes de descobrir o que realmente queria fazer.

Escolhendo o que você não quer fazer.

Sei que é difícil escolher uma segmentação quando se tem várias opções, foi assim comigo e acredito que deve ser assim com muita gente. A primeira coisa que aprendi foi o que eu não queria fazer da minha vida. Eu não queria nada em que eu tivesse que usar corel draw, photoshop, illustrator e outros softwares de edição e vetorização de imagens.

Cheguei a essa conclusão quando tive que estagiar em uma cooperativa de crédito e lá eu tinha que ser o designer/ilustrador/arte finalista. Quando me candidatei à vaga eu achava que as experiências que havia tido na universidade eram o suficiente para me tornar um. No dia-a- dia do trampo eu me irritava, não com o trabalho,  mas com a exigência que a função me pedia e que eu não tinha o fascínio em aprender.

Ao sair do estágio separei uma lista de coisas em que eu não tinha habilidade ou que não me causavam interesse e comecei a pesquisar sobre as áreas que necessitavam dessas características e fui descartando da minha lista, mesmo que isso significasse ficar um bom tempo sem estágio por não haver vagas na área que eu queria.

Amigos e família são para falar na cara.

Amigos e família o conhecem muito bem, então que tal perguntar a eles quais são seus defeitos e qualidades?

Sei que parece óbvio dar essa dica, mas você irá se surpreender com as respostas deles. Coisas que você nem imagina que pensam sobre você irá surgir, assim como as que você já está careca de saber. Isso ajuda na hora de escolher áreas que exigem, digamos “habilidade humana”. Características como ser simpático, prestativo, paciente… são fundamentais em publicidade para ser um bom atendimento. E foi naquele momento eu descobri que não era.

Amigos de faculdade e professores também são para falar na cara.

Não adianta, você vai ter que mostrar o que sabe fazer pra essa gente. É igual ao que foi dito na dica acima só que dessa vez é preciso mostrar as suas produções acadêmicas ou trabalhos se você já fez algum.

Essas pessoas vivem o dia-a-dia do curso e da profissão por isso saberão dar a opinião que você precisa. Faça um filtro antes. Escolha aqueles que você considera os melhores, com opiniões relevantes nas discussões em sala de aula, professores que trabalham na área e não só dão aula.

Não é porque você não sabe ou não tem que não poderá ser um dia.

Você não será diagramador, assessor de imprensa ou a área que escolher pro resto da sua vida. As pessoas mudam, as profissões mudam e você não vai ficar sendo a mesma pessoa sempre. Se hoje você não tem um conhecimento específico ou habilidade para uma determinada função não quer dizer que daqui a algum tempo não terá. Há dez anos a profissão de analista de mídias sociais não existia, portanto estudar sobre o mercado local e global, sobre a evolução de nossas profissões, bater um papo com seus professores e profissionais que já estão atuando na área pode ajudar na tomada da decisão.

Deixe um comentário »

Multimidia Luv Life & #BlogDay 2011

Você sabia que hoje é o dia do blog? 

Pois é, hoje dia 31/08 é dia do blog! Porque raios, tipo nada a ver blog ter dia?! De onde surgiu essa parada de #blogday?

Antes de fazer aquele preâmbulo de início de post que eu amo tudo, vou contar algumas curiosidades sobre o dia de hoje.

Afim de serem feitas divulgações acerca do trabalho do mais diferentes blogueiros, tendo como meta a indicação em seus respectivos posts, blogs dos mais amplos aspectos – tendo o cultural, como preferência -, é criado o dia do blog, onde não só diversos assuntos serão compartilhados, como pessoas, das mais distintas culturas e etnias serão conhecidas, e quem sabe, reconhecidas.

Como que por brincadeira, o BlogDay tem sua comemoração no dia 31 de agosto – note que 31/08 lembra muito a palavra “blog”. Neste dia é de praxe, a indicação de cinco blogs favoritos a escolha do blogueiro.

Há mais ou menos um ano atrás, eu perdi a vergonha(de escrever) e criei meu blog. Sabe quando você gosta do que faz e não se importa com fama, reconhecimento ou outros fatores? Pois é, eu blogo pelo simples fato de me sentir livre para expressar o que eu penso e como penso Comunicação, Língua Portuguesa, tecnologia e outros assuntos que me ocorrerem. Blogar pra mim é mais que um hobbie. Sei que muitos blogueiros não assumem, mas é muito gostoso receber visitas e comentários. Não há nada nesse mundo que realize mais um blogueiro do que um comentário, uma menção. Yay!

Para mim números são apenas números, ou seja, dois mil acessos ou dois acessos tem a mesma recepção – alguém em determinado momento me viu, me notou e isso me deixa feliz, mas me realizo quando alguém me complementa… Nossa, já aconteceu uma vez e foi muito bacana!

Acho que o dia de hoje o importante é agradecer a todos aqueles que dedicaram um minutinho observando, acrescentando e valorizando as minhas ideias, mas também celebrar a nossa liberdade de expressão. Muito obrigada por acreditar que meu conteúdo seja, de alguma forma relevante ou mesmo despertador, confuso… É de coisas como respeito e carinho  que eu falo! ❤

Mas e aí, tu me perguntas: Ei, pow, também sou blogueiro e quero participar desse mob cibernético.

Daí, eu te mostro algumas instruções pra tu participares, blz?

Instruções do BlogDay

Liste cinco novos Blogs que você ache interessantes.

  1. Notifique por email esses cinco bloggers de que serão recomendados por você no BlogDay 2010.
  2. Publique no BlogDay (no dia 31 de Agosto) esse post.
  3. Junte a tag #BlogDay usando no seu Twitter

E como se é sugerido no dia de hoje, vamos tuitar a tag #BlogDay e indincar cinco dos meus blogs favoritos, como essa é uma tarefa difícil ter que escolher apenas os cinco, vou quebrar este “ciberprotocolo” e indicar todos os meus blogs favoritos.

  1. Vivendo e Construindo – Poesia, Literatura,Cinema – Ábia Costa.http://www.vivendoeconstruindo.blogspot.com
  2. I am a Super Woman – cultura, música e ações de caridade – Alicia Keys. http://www.iaas.com
  3. Mosaico Social:  Mídias sociais e comunicação corporativa, informação e tecnologia(e muito mais!)http://mosaicosocial.blogspot.com/ 
  4. Papos na Rede:  Mídias sociais, comunicação, marketing e afins – http://paposnarede.com.br/ 
  5. Blog Mídia 8:  TUDO sobre comunicação, mídias sociais e marketing digital em geral – http://www.blogmidia8.com/
  6. Ponto Marketing:  Marketing e comunicação – http://www.pontomarketing.com.br/
  7. Dr Conteúdo: Empreendedorismo, marketing digital, produção de conteúdo – http://drconteudo.com.br/alfa/blog/
  8. Pó-de-vídeo – Comunicação, Publicidade, Cinema e Televisão. http://podevideo.blogspot.com/
  9. Blog da Franssinete Florenzano : Política e Jornalismo – http://uruatapera.blogspot.com/
  10. As falas da Pólis:  Política, informação e jornalismo – http://diogenesbrandao.blogspot.com/
  11. Sandro Markley :  Comunicação, Teccnologia e Informação –   http://www.sandromarkley.com
  12. Markos Gonçalves – Tecnologia, Informática e Comunicação.  http://www.markoskongo.blogspot.com
  13. SB Virtual Blog – Novas Tecnologias e Mídias Sociais.  http://www.sbvirtual.com
  14. Albergue Noturno – Críticas de Filosofia – Edilson Pantoja.   http://alberguenoturno.blogspot.com
  15. Blog do Ben Oliveira:  Jornalismo, Mídias sociais e tecnologia –  http://www.benoliveira.com/
  16. Artur Araujo :  Tecnologia e Comunicação –  http://www.arturaraujo.com
  17. Camisa nova – Fanzine paraense sobre mercado de trabalho –http://camisanova.blogspot.com/
  18. Pyrsona – Comunicação e Mídias sociais em geral – http://www.pyrsona.com.br/#/blog
  19. Blog RP&PP: Relações Públicas e Publicidade e Propaganda – http://rpepp.blogspot.com/
  20. RP Manaus: Relações Públicas e mercado na Região Norte – http://somosrps.blogspot.com
  21. Versatil RP: Relações Públicas, Mídias sociais, comunicação – http://versatilrp.wordpress.com/
  22. Tagsphere: Mídias sociais e tendências – http://www.tagsphere.com.br/
  23. Náuseas: Política e pensamentos – http://binahire.blogspot.com/

 

 

Deixe um comentário »

Multinews: LibreOffice é destaque na nova edição da revista Espírito Livre

Mês de julho. Férias, descanso, sombra e água fresca, ah… privilégio para poucos. Nós da Revista Espírito Livre continuamos na batalha e trazemos a edição que apresenta em sua capa, a suíte de escritório líder nos computadores com GNU/Linux. As principais distribuições GNU/Linux já o assumiram como substituto do OpenOffice, recentemente doado pela Oracle para a Fundação Apache. Sendo assim, enquanto uma nova versão do Apache OpenOffice não é liberada, o LibreOffice continua seu caminho como sendo a escolha de uma maioria que busca uma suíte de escritório completa, bem como a minha escolha pessoal. É claro que não existem outras soluções para escritório, entretanto os demais ainda tem um longo caminho a trilhar.

Mas engana-se aqueles que o LibreOffice é a escolha só dos que utilizam GNU/Linux. Empresas e usuários que utilizam outros sistemas operacionais também o utilizam. Por ter a característica de ter seu código aberto, usuários de diversos sistemas se beneficiam das funcionalidades do referido software.

Com milhões de linhas de código, a suíte arrebanha simpatizantes mas também rivais e usuários insatisfeitos. A velocidade com o software é aberto e a compatibilidade com outros formatos são as principais queixas daqueles que não são “tão” fãs da suíte. O fato é que grande parte das queixas também estão relacionadas com outros elementos, além do próprio LibreOffice. Sendo assim, culpá-lo por não se comportar da forma que este ou aquele usuário gostaria, não seria a atitude mais prudente. A contribuição, colaboração na construção de novos recursos ou correção e relato de bugs podem sim, ajudar a torná-lo uma solução ainda mais profissional do que já é. E todos, de alguma forma, podem contribuir na melhora do software, esta é a mágica que o software livre proporciona. O usuário final, aquele que não entende de programação, não conhece de design mas acha que um botão diferente poderia melhorar sua usabilidade, pode contribuir com sugestões. Aquele que é fluente em outras línguas também pode ajudar na tradução. No site oficial [http://pt-br.libreoffice.org] o usuário descobre como pode ajudar a torná-lo o que ele, o usuário, deseja e espera de uma suíte de escritório. A comunidade agradece.

Temos 4 entrevistados, sendo que 3 internacionais: Sophie Gautier e Italo Vignoli, ambos da The Document Foundation, Immo Wille, da Universidade de Zurique. Entrevistamos ainda Vitor Micillo, criador da Rede Social Doode.

Além disso, esta edição está repleta de outras contribuições tornando-a uma das maiores edições já publicadas pela Revista Espírito Livre. Vários eventos estão em parceria com nossa equipe, proporcionando várias promoções disponíveis. E muita coisa boa vem por aí. Se você ainda não participou de nossos sorteios, não perca tempo!

Iris Fernández, direto da Argentina, fala dos benefícios do uso do software livre na educação e Daniel Bruno nos traz a cobertura do FUDCon 2011, que aconteceu no Panamá. Filipo Tardim mostra forma de clara como compilar o kernel do Ubuntu e Rodrigo Griffo apresenta a instalação do CentOS via Netinstall. E tem muito mais.

Um agradecimento especial a Eliane Domingos que esteve a frente de grande parte das matérias relacionadas ao LibreOffice, bem como todos os outros, que de alguma maneira, nos ajudaram neste trabalho colossal. Esta edição realmente deu trabalho. E descanso?! Nem aqui, nem na China.

Um forte abraço a todos, colaboradores e leitores!

Deixe um comentário »

#resenha Considerações sobre o novo CD da banda @dopestarsinc – “Ultrawired”

“Surpreendente, empolgante”. Esses foram os adjetivos que imediatamente se passaram por minha cabeça quando “Better not to joke” começou a rolar nos meus fones de ouvidos.

Por acaso entrei no TPB e encontrei lá um disco novo da banda italiana Dope Stars Inc.

Baixar gratuitamente? Sim!

O Ultrawired segue uma mistura de rock com música eletrônica, cyberpunk e diversos sintetizadores, com temáticas abordando filmes, videogames, pirataria e revolução.

Não é necessário falar que o DSI já vinha se espalhando no cenário ‘industrial’ (se é que industrial ainda existe) ou cyberpunk, gótico ou qualquer coisa assim (não aprecio rótulos).

Tendo sua fama com hits como “Make a Star”, “Infection 13” e “Beatcrusher” (esta que foi parte da trilha sonora de Jogos Mortais 4) não é de se surpreender (mas surpreendeu!) que o quarto álbum fosse ainda melhor.

Saindo de Better not to joke, a seqüência se dá com “Save the Clock Tower”, referente à trilogia ‘De volta para o Futuro’ que impulsiona com sintetizadores frenéticos muita energia, ainda mais daqueles que conheceram e vivenciaram essa aventura a 88MPH dos anos 80.

Com uma pitada de inconformismo chegamos a “Cracking the Power” que de uma forma dançante e alegre passa sua mensagem revolucionária.

“Banksters” é sem comentários, simplesmente por sua ‘pegada’ punk.

Então vem a famosa “Lies Irae”, uma das melhores (se é possível eleger dentre todas a melhor), composta de uma forma inusitada: em conjunto com os fãs, no piratepad, um editor estilo ‘Word’ porém para todos juntos editarem online, todos os participantes contribuíram com as letras dessa enérgica e muito bem composta música que mistura Giuseppe Verdi com muitos sintetizadores e uma pegada rock.

“Blackout” se destaca pelas linhas de baixo e vocais agressivos de Victor Love, há quem diga que é uma das melhores do álbum.

Amantes de vídeo-games: “Get Young” é diretamente feita para vocês. Com sintetizadores marcantes e melodias vocais, Get Young clama a todos os gamers a juventude de estarem sempre se sentindo bem com seus jogos.

“No life belongs to you” já nos trás aquele feeling existencial, característica de grandes álbuns clássicos em suas músicas mais introspectas, assim como a seguinte “Two dimensional world”.

“Run motherfucker run” com muita energia e pegada rock ‘n’ roll poderia agitar qualquer show com rodas de porradaria. Sem dúvidas.

Atenção piratas: “Pwning the Network” é um chamado para a busca de diversão nas redes e muita animação. Interessante comentar que Dope Stars Inc. interage com os fãs pela internet, pads, grupos de IRC, etc. Essa temática ‘pirata’ é bastante abordada pela banda, pois seguem a filosofia de produção independente e sustentável, na qual a pirataria através de lemas como “sharing is caring” é defendida. Não se defende fraudes ou roubos dentro desse ideal, mas o compartilhamento de cultura sem custos e a transparência política.

“We are the new ones” completa a movimentação revolucionária. Com uma pegada mais metal, não tem com não balançar a cabeça.

“Riding the UFO”, assim como No life belongs to you, já tem uma pegada mais calma, porém muito marcante, com muitos efeitos sonoros e um misticismo quase extraterreste.

Finalizando com “Thru the never”, que de alguma forma me remete a “Lucy forever” do King Diamond, não por sua melodia ou algo assim, mas por seu encerramento profundo, pela sensação deixada quando ouvimos o último “never” de Victor Love.

Assim construído o CLASSICO Ultrawired, além de ser inteiramente composto, gravado, editado e masterizado por Victor Love em um computador pessoal e nada mais, o álbum está sendo distribuído gratuitamente pela internet e o retorno disso é diretamente vindo dos fãs, assim compactuando com a nova tendência musical de não depender de grandes gravadoras e selos, dando liberdade para a produção musical sustentável.

Bastante interessante e muito bom de se ouvir.

Site Oficial: Dope Stars Inc.

Site dos Fãs Brasileiros: Dope Stars Inc. BrasilDope Stars Inc. Brasil

Minha nota? 10 ‘+1’, com absoluta certeza.

Por Márcio Tomazela no Wishplash

Deixe um comentário »